A conquista vem pela honra - 19º dia da Campanha

By terça-feira, maio 08, 2012 , ,

Shalom amadas,

Estou postando a palavra do dia 19 da Campanha de 21 dias que se chama A conquista vem pela honra, uma palavra da Apóstola Ester ministrada  no Seminário de Honra 2012.

Apóstola Ester juntamente com Apóstolo Arão Amazonas são mestres e doutores em Aconselhamento Cristão pela Flórida Christian University, são apóstolos do Ministério Internacional da Restauração em Manaus-Am.

Estou disponibilizando o vídeo para você assistir esta ministração. Você pode baixar em formato MP4, MP3, 3GP  neste site http://keep-tube.com/ você cola o link do vídeo do you tube em URL: e depois clica em Download, ele vai gerar os arquivos em formatos diferentes para baixar

EX do vídeo: http://keep-tube.com/?url=http%3A%2F%2Fwww.youtube.com%2Fwatch%3Fv%3D-EO9zBDVo84%26feature%3Dg-user-u



Publicado: 10.03.2012
A verdadeira conquista vem pela Honra
Apóstola Ester Amazonas



E disse: Um certo homem tinha dois filhos. E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda. E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mand ou para os seus campos, a apascentar porcos. E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti. Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros. E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; e trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos.”
(Lucas 15:10-23)

A honra é uma construção. Nós da América do Sul temos muitas dificuldades com a absorção do princípio da Honra.

Honra não é fundamento, é resultado. Honra é uma colheita pelos fundamentos estabelecidos. A pessoa necessita reconhecer qual é o significado da honra. Só construímos honra a partir do bom caráter.

A virtude fundamenta a honra. É preciso haver disposição, trata-se de uma verdadeira inclinação dentro do homem de querer fazer as coisas boas e corretas, é uma força interna, algo estabelecido dentro do que a vida e os seus padrões significam pra você. São inclinações e fundamentos internos que desenvolvemos como pessoa.

A virtude é uma inclinação para fazer o bem, por isso se não há virtudes, não é possível estabelecer a honra. É preciso ter disposição e fazer disso um hábito. Você precisa se qualificar internamente para fazer o bem ao outro. Uma pessoa com hábito de obediência colherá obediência, porque obediência é uma virtude.

Virtude é um princípio divino que Deus estabeleceu na Terra. A virtude é um conjunto de qualidades que constituem um homem e uma mulher de bem. Virtude é amor, fé, santidade, temperança, obediência, perdão, diligência, esperança, humildade... Podemos dizer que o conjunto de virtude se transforma nos princípios da honra.

Quem não possui no seu caráter as virtudes entra na rota da desonra. Nosso maior problema hoje no que se diz respeito ao caráter pessoal.

Como vamos conquistar pela honra se não sabemos estabelecer as verdadeiras virtudes?


Se a conquista for perdida, como recuperá-la?

Quantos de nós já perdemos bênçãos no Reino porque não soubemos estabelecer os princípios corretos da honra.

Quando lemos Marcos 15, sobre a história do filho pródigo, descobrimos que o problema não foi ele ter pegado a herança e saído, mas o caminho que ele trilhou que foram caminhos profanos. Muitos de nós achamos que temos direito de sair, mas se não estamos maduros para sair, podemos trilhar rotas de desonra.

O que você faz de você mesmo? Você não teme, não valoriza nem a você mesmo como valorizará a Deus que você não vê? Se nós não nos qualificarmos internamente sobre os princípios da honra não podemos glorificar a Deus nem sermos homens e mulheres de honra.

Precisamos reconhecer a graça e o amor de Cristo. Temos perdas enormes quando não reconhecemos o nosso estado. Não negue o problema, admita-o e traga o novo pela fé sobre o problema. Negação não é fé.

Essa disposição que temos de nos negarmos e não admitirmos, não reconhecermos o nosso problema tem sido nosso maior problema.

O filho pródigo, apesar de todas as falhas e pecados cometidos, quando chegou a crise, ele, por ser alicerçado nas finanças, não aguentou e lembrou dos empregados do pai que estavam em melhor condição do que ele.

1. Reconhecer. Ele reconheceu o seu erro, o seu pecado, as suas falhas. Ele decidiu voltar porque reconheceu.

2. Humildade. A humildade é o único solo no qual a graça germina. A humilhação causa dor, pois por causa do orgulho sentimos muita dor em nossos alicerces humanos. A humilhação é um remédio doloroso que quando cai no humano, avolumado de orgulho, dói demais.

Nós queremos ser humildes, mas não queremos passar por humilhação. Deus usa a humilhação para nos tornar humildes. Deus tratou com o filho o orgulho de ter que se humilhar diante do pai. Ora, ele não havia reconhecido o valor da herança que o pai havia dado em suas mãos. Ele pegou as preciosidades da vida dele e enterrou no pecado, provando do mundo, desonrando a Deus e ao pai, que construiu uma herança e entregou nas mãos do filho que não soube como usar.

Foram três níveis de desonra: desonra com Deus, desonra com o pai, desonra própria. Deus foi quem deu tudo ao pai para, consequentemente, dar a ele. O pai que trabalhou e não se importou de entregar a herança a ele. Ele próprio que não soube valorizar a herança.

3. Perdão. O perdão do pai restituiu a honra ao filho. A posição do pai restituiu a honra ao filho. Em algum momento, seremos testados como pais para restituir ao filho, e como filho para pedir perdão ao pai.

No perdão está a restituição do lugar honroso. O filho não queria mais a condição de filho porque tinha consciência do pecado que havia cometido diante do pai. Ele não se sentia digno. Mas o pai faz com que ele se sentisse digno, e deu uma festa ao filho, entregando a ele um anel, novas vestes e sandálias.

Aqui quero lembrar que o sentimento do filho era o mesmo de Adão e Eva quando tiveram conhecimento do bem e do mal. O pecado rouba o direito da comunhão e nos faz sentir indignos de estar na presença de Deus, na presença do Pai.

O pai restitui a credibilidade. Ele restaura a autoestima e constrói pontes de dignidades para o outro. Se o filho vem na direção do pai e ele não abre a porta para a restituição, como posso retratar a imagem de Cristo a essa pessoa?

Em alguns momentos, o silêncio é a fala mais profunda que podemos ter diante do problema. A Bíblia não diz que o pai foi atrás, que ele gritou, esbravejou, etc. Não se muda na força do braço, mas pelo convencimento que é ação do Espírito Santo. Por isso que nós, como pastores e líderes, temos sempre que orar para que haja ação do Espírito Santo em nosso trabalho. Só Ele pode tomar a Palavra e dar conhecimento.

O silêncio permite que a pessoa raciocine nos seus atos, devaneios, e até mesmo nas situações que não quer ouvir nada nem ninguém.

Há momentos em que somos tão duros que é necessário que passemos por situações dolorosas. A dor tem poder de mudar a mentalidade, mais do que a alegria.

Salomão disse ser melhor estar em um velório do que em uma festa. Isso porque a dor tem o poder de transformar internamente o ser humano. Claro que existe uma exceção: o tolo. O tolo crônico é uma ciência difícil de ser estudada. Não se adquire sabedoria sem deixar de ser tolo.

O tolo, mesmo com a dor, não refaz comportamento, não muda suas atitudes. Contudo, o filho pródigo, mesmo na sua tolice de gastar toda a herança, refez o seu caminho através do reconhecimento, da humildade e da busca do perdão. Por isso, ele entra novamente no lugar da honra.

Quais os lugares da sua vida que precisam ser transformados para que você entre em restauração e restituição? Para sonhar com o anel no dedo, com as novas vestes e com as sandálias para a nova caminhada, é preciso conseguir cumprir o protocolo que antecede a honra: reconhecimento, humildade, perdão.

Para os que reconhecem, se humilham e trilham o caminho do perdão, há anel, vestes e sandálias novas. Que essa seja a sua história! Que você possa olhar para os lados e reconhecer o que Deus já colocou em suas mãos. Olhe para a sua vida, família, trabalho e reconheça as bênçãos de Deus.










 

EU SOU UMA MULHER AMADA, ACEITA, VALORIZADA, UNGIDA, INTELIGENTE ABENÇOADA, CONTROLADA, MÃE, COMPANHEIRA, ALEGRE, AMIGA, SÁBIA E VITORIOSA EM TODAS AS ÁREAS DA MINHA VIDA.

You Might Also Like

0 Deixe seu comentário

Obrigada pela visita !

Deus te abençoe com toda a sorte de bençãos nas regiões celestiais.

Eu declaro que você viverá dias de alegria,de paz de saúde,de prosperidade,de amor.Nesses dias, o Senhor mudará a sua sorte e a sua boca se encherá de riso e a sua família viverá o melhor de Deus. Em nome de Jesus.